Fundação de Ação Social de Curitiba

Skip Navigation Links

Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote

Publicado em 10/06/2024
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote10
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote11
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote2
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote3
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote4
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote5
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote6
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote7
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote8
  • Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote9
Imagem: Comunicação FAS imagem conteudo

Jovens acolhidos pela FAS superam desafios e iniciam negócio de bolos de pote

Apesar da pouca idade, Kauan Rodrigues, 17 anos, e Vinícios Paranhos, 15 anos, resolveram empreender na área da gastronomia, conciliando essa atividade com os estudos no 2º ano do Ensino Médio. Ambos estudam na mesma sala e são acolhidos em uma unidade da Fundação de Ação Social (FAS), destinada a crianças e adolescentes encaminhados pela Justiça por medida protetiva devido à violação de direitos.

Os jovens decidiram vender bolos de pote inicialmente entre amigos, mas com a ajuda do coordenador da unidade de acolhimento, Michel Araújo, poderão comercializar suas delícias também na Feira do Largo da Ordem. A ideia de empreender surgiu de Kauan, que propôs ao amigo Vinícios a parceria no negócio. “Aprendi a cozinhar com a minha mãe desde pequeno, aprendi a fazer bolos e outros pratos e acho que esse conhecimento pode ser aplicado no negócio”, conta.

Para iniciar, Kauan vendeu livros que já havia lido em um sebo no Centro da cidade, o que lhe rendeu R$ 87 que foram investidos na compra de insumos como leite condensado, barras de chocolate, mistura para bolos e ovos.

Empreender foi a solução que encontraram para obter uma renda própria, já que estudam em período integral no Serviço Social do Comércio (Sesc) com bolsas de estudo e não poderiam trabalhar como aprendizes devido ao horário.

Capacitação

Eles têm apenas duas manhãs na semana para preparar as receitas, além de se dedicarem a esportes. Na última semana, Kauan e Vinícios testaram receitas de bolos de pote na cozinha experimental do setor de Nutrição da FAS. Antes disso, participaram de uma capacitação sobre boas práticas de higiene na manipulação de alimentos, ministrada pela nutricionista da FAS, Carolina Camara.

Os jovens receberam uma cartilha de boas práticas com regras importantes de manipulação de alimentos, higiene pessoal, prevenção de contaminação, limpeza de utensílios, equipamentos e ambientes, e cuidados com o lixo. No preparo das massas, contaram também com o apoio da educadora social Áurea Maria Moreira, que é formada também em confeitaria.

Para profissionalizar o negócio, a nutricionista fará a rotulagem dos produtos e o setor de Comunicação da FAS criará a logomarca.

Os amigos criaram uma conta no Instagram chamada cwb_cake_vk para divulgar o produto. A conta tem 39 seguidores, número que esperam aumentar à medida que o negócio cresça, de acordo com Vinícios.

Acolhimento na FAS

Para a presidente da FAS, Maria Alice Erthal, a iniciativa de Kauan e Vinícios mostra que é possível superar adversidades e criar oportunidades. “Com o apoio da FAS, paralelamente aos estudos, esses jovens estão iniciando uma nova trajetória de vida que os ajudará a superar as vulnerabilidades que os levaram ao acolhimento”, diz.

A FAS tem oito unidades de acolhimento para crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, afastados de suas famílias ou responsáveis por medida protetiva devido à violação de direitos. Eles permanecem nesses espaços até que a Justiça decida seu futuro, seja retornando às suas famílias, sendo acolhidos por parentes (família extensa) ou encaminhados para adoção.

Fundação de Ação Social

Rua Eduardo Sprada, 4520|CEP 81270010|Curitiba - PR|Todos os direitos reservados | Política de Privacidade

Desenvolvido por ICI - Instituto das Cidades Inteligentes