Fundação de Ação Social de Curitiba

Skip Navigation Links

Adolescentes atendidos pela FAS são os artistas da mostra Voz

  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 01
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 02
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 03
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 04
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 05
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 06
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 07
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 08
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 09
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 10
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 11
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 12
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 13
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 14
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 15
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 16
  • Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 17
Publicado em 12/04/2019 Imagem: Ricardo Marajó/FAS imagem conteudo

Adolescentes atendidos pela FAS fazem exposição de gravuras 01

Dez crianças e adolescentes, de 10 a 14 anos, que vivem na Unidade de Acolhimento Casa do Piá I da Fundação de Ação Social (FAS), foram recebidos como artistas no Centro Juvenil de Artes Plásticas. Eles são os autores das obras que compõem a exposição VOZ, aberta na noite desta quinta-feira (11/4).

A mostra apresenta litogravuras e escritas produzidas em oficinas culturais desenvolvidas na unidade por voluntários da organização social Transforme Sorrisos.

Lincoln, 13 anos, exibe na exposição uma gravura de um homem embaixo de uma chuva de confetes. Ele contou que, além da alegria de participar de uma mostra cultural, o projeto trouxe outros benefícios, como o trabalho em equipe e o compartilhamento de informações.

Ao lado da gravura, em uma moldura, está exposta a palavra que Lincoln gostaria de gritar para o mundo: esperança. “É o meu desejo para uma vida diferente para todos, sem rolos, sem doenças, sem o trânsito na rua, por exemplo”, explicou o adolescente. que mora na Casa do Piá I há dois anos.

Introspectivo, o haitiano Danielson, 12 anos, desenhou e pintou uma casa nas cores preta, vermelha e verde. Segundo ele, a gravura pode representar a casa em Porto Príncipe, no Haiti, onde ainda mora a mãe, ou um novo lar no Brasil. Estudante do 6º ano, Danielson se mudou para o Brasil com o pai e há dois anos é acolhido pela FAS. 

Expressão       

Severina Sant´Ana Silveira, coordenadora da Casa do Piá I, explica que a exposição é a conclusão de um trabalho desenvolvido durante todo o ano de 2018 com as crianças e os adolescentes. “Durante as oficinas é mostrada a eles a possibilidade de se comunicarem com si mesmos e com os outros através do fazer, do ser, do construir”, explicou.

Cada gravura que compõem a exposição representa um grito das crianças e dos adolescentes, expressam o que vivem e sentem e trazem seus sonhos. “É uma provocação para nossa sociedade, expondo a forma como estamos cuidando da infância. É também uma inspiração, mostrando como podemos ser melhores”, contou a artista plástica Ana Paula Pereira Nísio, fundadora da Transforme Sorrisos, organização da sociedade civil que existe há oito anos e tem o objetivo de levar cultura a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. 

A exposição poderá ser vista até o dia 11 de maio, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h. A entrada é gratuita. O Centro Juvenil de Artes Plásticas fica na Rua Mateus Leme, 56, São Francisco.

Proteção

A Casa do Piá é uma unidade de acolhimento que atende meninos de 7 a 14 anos afastados das famílias e sob medida de proteção. Eles são encaminhados para a unidade, que tem 21 vagas, pelo Conselho Tutelar e por determinação da Vara da Infância e da Justiça em função de violência, ameaça ou violação de direitos, abandono, maus-tratos e rompimento de vínculos familiares.

 

Fundação de Ação Social

Rua Eduardo Sprada, 4520|3350-3500|CEP 81270010|Curitiba - PR|Todos os direitos reservados|Política de Privacidade

Desenvolvido por ICI - Instituto das Cidades Inteligentes